BLW NO NATAL: ENVOLVER O BEBÉ NAS FESTIVIDADES DE FORMA SAUDÁVEL

#ESPECIALNATAL
..
Com o Natal à porta, convidámos a Marília Pereira a escrever sobre como podemos envolver o bebé nas festividades da família, de forma saudável. Neste artigo ela explica como o Baby Led Weaning pode ser uma abordagem de introdução da alimentação complementar mesmo durante esta época festiva!

O Baby Led Weaning é uma abordagem de introdução da alimentação complementar que assenta em 4 grandes pilares: autonomia, confiança, respeito e auto-regulação. O bebé é o protagonista e deverá estar sempre 100% no controlo. Mas os pais continuam a ter um papel importante, são eles que idealizam as refeições em família, que vão às compras, confeccionam os alimentos e os disponibilizam ao bebé. Em vez do célebre pensamento “qual a combinação de legumes e proteína que vou preparar para o bebé?” passamos a pensar “o que vou fazer hoje para o nosso almoço que possamos partilhar com o bebé?”

A partilha é um aspecto extremamente importante desta abordagem de introdução alimentar. As refeições são realizadas em família, todos juntos, ao mesmo tempo e comida igual para todos.

Parece difícil? É uma questão de hábito. E o hábito principal é fazermos refeições variadas, equilibradas e saudáveis. Depois apenas precisamos fazer pequenas adaptações, se aplicável. Por exemplo, substituir o sal por ervas aromáticas, o esparguete por espirais, os legumes em rodelas por legumes em palitos. A verdade é que comer de forma saudável é importante para toda a família!

Por vezes, é mais fácil utilizar esta abordagem nas famílias em que o bebé é amamentado, pois os pais já estão habituados a não conseguir controlar o que o filho come. Nos bebés alimentados com leite artificial, em que os pais estão habituados a que o bebé faça X mililitros de leite de Y em Y horas, de repente, pode haver uma sensação de perda de controlo. Mas a verdade é que ao tornarmo-nos pais não vamos conseguir controlar a vida toda dos nossos filhos (espero!). Importa reforçar que não é uma abordagem exclusiva de bebés amamentados e todas as famílias têm muito a beneficiar com esta forma de encarar a alimentação infantil.

Nos primeiros dias, semanas, ou até meses de introdução alimentar, há muita curiosidade em brincar com os alimentos, manipular, esmagar, levar à boca e cuspir, provar. É provável que nesta fase os bebés não ingiram grandes quantidades de alimentos. Está tudo bem! A principal fonte de nutrição dos bebés no primeiro ano de vida é o leite (materno ou artificial). Não atrasa a introdução alimentar nem lhes retira a curiosidade de experimentar os alimentos. Por vezes também parece que o bebé não comeu nada e depois observam-se pedaços de alimentos semi-digeridos no cocó do bebé.

Eu costumo dizer que a ingestão de alimentos é o bónus. A alimentação complementar, como próprio nome indica, é o complemento, não é o alimento principal. Temos de mudar a nossa maneira de pensar. Se as refeições são vistas, pelos adultos, como um momento para socializar, vamos manter isso, e vamos deixar o bebé explorar a comida, ao seu ritmo, assegurando as necessidades nutricionais com o leite. É claro que é importante ir apresentando texturas, sabores, mas ir deixando explorar.

Ter o foco nas quantidades ingeridas cria um problema. Se o bebé não come a dose de sopa que “devia”, a dose de proteína que “devia”, começamos a forçar a ingestão de mais uma colher, seja através do famoso aviãozinho, tablets e televisão. E isto, a médio e longo prazo, pode até contribuir para que as crianças comam mais do que deviam — estão a comer de forma automática, a olhar para um ecrã — e ser um factor de maior incidência de obesidade infantil.

“No BLW, o bebé come aquilo que precisa e isso vai ter um papel fulcral na sua noção de saciedade.”

É importante que o bebé não tenha sono ou fome quando inicia as suas experiências à mesa. Pode ser muito útil amamentar antes de sentar o bebé à mesa. Ao contrário do que parece, o bebé ao estar saciado vai estar muito mais disponível para explorar os alimentos. Estes alimentos ainda não são percebidos como o bebé como algo que o vai saciar.

© O Bebé Sabe – Marília Pereira
© O Bebé Sabe – Marília Pereira
© O Bebé Sabe – Marília Pereira

E por falar em refeições em família…

Estamos agora na época do ano que é tão caracterizada por reunir a família à volta da mesa: o Natal! Este ano talvez um pouco diferente… O Natal simboliza o amor na sua forma mais pura. É o momento de celebrar a vida, encerrar e iniciar um novo ciclo, de preferência com toda a família reunida! Seja a família alargada ou apenas a família nuclear.

O Natal em família é certamente um momento inesquecível, em particular se se trata do primeiro Natal do vosso bebé. Não percam as dicas para um Natal em BLW! Passar um Natal em família é extremamente especial, principalmente para as crianças. A data é envolvida de magia e encanto para os mais pequenos, que criam memórias afectivas que vão acompanhá-los ao longo de toda a vida. Cada família tem as suas preferências quando falamos da escolha dos pratos para a Ceia de Natal. E os doces têm um papel principal.

Os pratos mais tradicionais do Natal em família são o peru, leitão, borrego ou cabrito, o bacalhau ou polvo com ovo, batata e couve portuguesa cozida e toda uma panóplia imensa de doçaria. Rabanadas, aletria, bolo Rei ou Rainha, tronco de Natal, arroz doce, sonhos, filhoses, coscorões, azevias… No entanto, a tradição não é obrigatória e podem também aproveitar esta altura para criarem as vossas próprias tradições. Têm toda a liberdade para escolher as entradas, pratos principais, bebidas e sobremesas que mais vos agradam.

Um dos aspectos mais maravilhosos da introdução da alimentação complementar do bebé e da partilha das refeições é, precisamente, fazer-nos repensar hábitos alimentares pouco saudáveis e prejudiciais para a saúde de miúdos e graúdos.

Natal em BLW

O tradicional bacalhau com ovo, batatas e couve portuguesa cozidos – demolhar bem o bacalhau, podem também optar por cozer bacalhau fresco ou pescada (ou outro peixe da vossa preferência) para oferecer em lascas ao bebé. O bebé também vos pode acompanhar no ovo cozido, batatas e podem oferecer os talos da couve portuguesa, bem cozinhados.

Peru recheado assado no forno – o peru é uma carne óptima para oferecer ao bebé, tenham apenas o cuidado de ficar bem suculenta. Podem oferecer em tiras (cortadas no sentido longitudinal das fibras da carne) ou a asa ou perna no osso.

O acompanhamento podem ser legumes no forno e se fizerem arroz podem moldar “croquetes” para o bebé.

Os doces podem ser substituídos por versões um pouco mais saudáveis, sem açúcares ou farinhas refinadas, para os adultos, e ao bebé oferecer fruta. O bebé não vai ficar chateado por não provar o Bolo Rei ou as filhoses. Também podem aproveitar a ocasião para testar bolachinhas caseiras adoçadas com fruta. Se há irmãos mais velhos pode ser uma óptima actividade em família.

Deixo-vos aqui a minha versão de Rabanadas (ou fatias douradas) do livro “O Bebé Sabe Comer” (link para o livro e mais receitas aqui). Uma óptima sugestão para pequeno-almoço ou lanche em família mas que também vem muito a propósito da época natalícia:

FATIAS DOURADAS “O BEBÉ SABE COMER”

Quantidade: 8 fatias
Preparação: 20 minutos
Confecção: 15 minutos

Ingredientes:
– 2 a 3 ovos
– 1 pão fatiado (de preferência com 2 dias)
– Leite de vaca ou bebida vegetal (a quantidade irá variar entre 1 a ½ litro, dependendo do tamanho do pão)
– Pau de canela
– Casca de limão
– Canela em pó
– Manteiga ou óleo de coco (para untar)

Preparação:
Comece por ferver o leite com o pau de canela e a casquinha pequena de limão. Parta o pão (gosto de usar pão tipo cacete) às fatias e, com a ajuda de um utensílio, molhe-as no leite e ponha-as a escorrer um pouco. Bata os ovos num prato, passe as fatias já escorridas por ovo e coloque-as num tabuleiro untado com manteiga ou óleo de coco. Leve ao forno pré-aquecido (185ºC) até ficarem douradinhas. Polvilhe com canela.

Para o bebé: cortar em palitos
Nota: Pode fazer as fatias douradas na véspera ou até aproveitar o fim-de-semana e preparar algumas das refeições da semana.

Se o princípio do Natal é a união e o amor, faz todo o sentido que preparem as refeições em família! As crianças pequenas podem ajudar em tarefas simples como a organização dos ingredientes e as maiores podem participar na preparação de algumas receitas. Cozinhar no Natal em família será uma alegria!

Paciência. Muita paciência. Nem sempre é fácil, não é rápido, mas vale a pena. O BLW não é aquela abordagem onde se oferecem alimentos em pedaços, esse é apenas um meio para atingir um fim. Um fim que é uma criança que come sozinha, que está bem e que tem uma boa relação com a comida.

Desejos de um Feliz Natal!

SOBRE A NOSSA CONVIDADA
A Marília Pereira é Enfermeira Especialista em Saúde Materna e Obstetrícia e mãe de duas meninas. Fundou O Bebé Sabe e é autora do livro “O Bebé Sabe Comer – A alimentação complementar do bebé através do Baby-Led Weaning“.

Segue-a no Instagram: @obebesabe

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *